11 de fev de 2013

“Eu estava em paz, quando você chegou.”


Eu achava que tinha encontrado meu equilíbrio minha paz interior, só estava sobrando um espaço grande no meu coração e eu resolvi colocar você.
Até que no começo era bom, era um sonho, era anestesiante, era uma dose de anfetamina pura, era agitado no ponto certo.
Depois de um tempo começou a expandir por dentro aquilo que eu sentia, e então foi esmagando os sentimentos que eram só pra mim e se tornaram seus também.
Daqui a pouco eu não tinha muito espaço para colocar amor por mim no coração, eu estava com prioridade total pra voce e foi isso que fez eu me machucar, me decepcionar, chorar, me deprimir..e era para estar mesmo com o pouco amor que eu tinha por mim, enquanto você só tinha uma pequena metade de mim em você.
Depois de um tempo vivendo pobre de amor próprio  eu comecei a minha ambição de resgatar tudo o que eu era antes, todo o sossego que eu tinha antes, e isso começou a dar certo quando eu resolvi não esperar elogios de voce, nem esperar voce aumentar minha auto estima, fazer tudo por mim, me colocar em primeiros planos, meu conforto primeiro depois os seus confortos.
Depois que eu aprendi a dosar tudo pra voce, eu comecei a entender o sentido da palavra nós, que não era como eu achava que fosse, eu achava que ''nós'' era ''tudo de acordo com meus gostos'', e o certo é ''tudo de acordo com o que os dois gostam''.
Aprendi a usar o egoismo como forma de amor próprio, e não em mandar na relação.
Aprendi que ninguém é dono, apenas tem o respeito do outro em todos os lugares quando se esta junto.
Aquilo de amar o próximo como a ti mesmo, não fazer aquilo que não quer que faça com voce.
Agora eu to numa paz instável que depende do dia, da minha folga, do feriado, e da minha TPM.


By- Fran Bruckmann